Queremos te conhecer! 

Caso queira mais informações sobre a DanzaMedicina (Formações, Workshops, Eventos, Parcerias e Colaborações), ou simplesmente queira se conectar, preencha o formulário. 

         

123 Street Avenue, City Town, 99999

(123) 555-6789

email@address.com

 

You can set your address, phone number, email and site description in the settings tab.
Link to read me page with more information.

Mandala da Lua 2019

Seja bem vinda! Ofereço aqui um material explicativo a respeito da Mandala da Lua. Ao final desde texto, você tem disponível os links para download do diagrama e o do calendário lunar, para que você possa começar este estudo agora mesmo!

Este é o momento de se erguer, de permitir que algo novo se abra e se desvele; este é o momento de tomar as rédeas de sua própria vida, desde dentro, se tornando tecelã do próprio destino e tomando parte nesta teia universal de mulheres que criam uma nova realidade, uma nova forma de experenciar a humanidade, a natureza, e a simbiose entre elas. Honrando seu sangue, reascendendo a sabedoria de seu útero alquímico, voltando ao colo de sua avó lua e mãe terra, dançando com beleza de suas infinitas possibilidades enquanto flutua pelo seu ciclo em equilíbrio dinâmico.

Esta é uma viagem de reconexão para além das cortinas do tempo, em união com aquelas mulheres que vieram antes de nós e que hoje nos sussurram memórias e mistérios há tanto esquecidos. Que este seja apenas o início de uma potente jornada corpo adentro, mulher.

Bom mergulho, Morena Cardoso

O que é a mandala da lua?

A Mandala da Lua é um mapeamento que conecta e contextualiza o ciclo lunar e o seu ciclo menstrual pessoal.

Desde uma percepção sutil, a Mandala da Lua permite que as mulheres possam voltar a experimentar a potência de um corpo feminino em honra às suas particularidades há tempo esquecidas, negligenciadas e profanadas: um corpo que sangra, que ovula, que morre e renasce a cada novo ciclo, que carrega em si a sabedoria de recomeçar e deixar morrer, em um processo essencial de resgate do Ser-Mulher para além dos estereótipos e papéis sociais. Este estudo permite também o entendimento a respeito dos arquétipos e tendências de comportamento que são limitantes ou potenciais a cada mulher, manifestadas e expressas em diferentes fases do ciclo, para que você possa se conhecer melhor e usar esta flutuação dinâmica a seu favor enquanto incorpora as multifacetas e infinitas possibilidades do seu Ser Mulher.

Partindo de uma perspectiva mais concreta, a Mandala da Lua é também uma ferramenta de autoestudo a respeito do corpo, dos sinais primários e secundários para a percepção de fertilidade, além de um convite ao autocuidado e manutenção da saúde dos sistemas sexual e reprodutor femininos.

diferentes facetas do Ser Mulher no ciclo menstrual: 

Dentre minhas pesquisas com tradições nativo-americanas do sul e do norte, e no Leste Europeu, percebi referências arquetípicas similares para definir as frequências, ritmo e expressões cada uma das fases do ciclo menstrual, como a Menina, a Mãe, a Feiticeira e a Anciã. Em meus estudos pessoais, sugeri alinhamentos com a Mitologia Grega e suas respectivas deusas, abrindo um novo leque de percepção a respeito da complexidade da psique feminina.

Em ambas as perspectivas, fica evidente a ideia de que, aprofundar-se no estudo dos ciclos, permite uma forma de resgate à fragmentação causada pelas normas e trejeitos culturais que subjetivamente nos impõe a uma expressão unifacetada e vertical, contra as diversas facetas que nos emergem e permeiam no decorrer do ciclo, sugerindo uma multiplicidade de mulheres, em uma.

O estudo das particularidades arquetípicas de cada deusa, com suas potências e limitantes, será estudado mais profundamente em outros momentos (como no Programa Online Devir-Mulher que você pode conhecer clicando aqui). Agora, o momento é para dar o primeiro passo, onde você se dedique a conhecer os seus próprios padrões, os aspectos e expressões que estão sendo ativados a cada nova fase do ciclo menstrual em suas manifestações pessoais e individuais através desta Mandala da Lua, aprendendo a utilizar sua energia de forma mais sábia e eficiente.

Para isso, a cada anotação e a cada dia, você fará perguntas a ti mesma, sobre como você se sente a nível físico, mental, emocional; buscando através desta tecedura entre seu ciclo pessoal e o ciclo lunar, as diferentes faces de ti mesma que se expressam, compreendendo que estas forças arquetípicas se repetem como um padrão, ciclo após ciclo, te permitindo prever, antecipar e se adequar em suas necessidades, desejos, vontades e dificuldades, em cada uma dessas fases.

Ciclo, que ciclo?

Um ciclo dito saudável acontece geralmente entre 24 e 35 dias, com variações menores do que 20 dias de um para o outro. Fora isso, a movimentação de seu ciclo acontece em um ritmo muito particular: seu ciclo não precisa ter 28 dias (apesar de ser considerado um ciclo padrão) e nem ter a mesma quantidade de dias sempre. Mesmo quando regular, a ovulação também não acontece necessariamente no dia 14o e nem no mesmo dia do ciclo. Ou seja, é imprevisível e bem suscetível a mudanças (veremos mais isso ali em baixo, quando falarmos sobre os perigos da tal Tabelinha).

E o Ciclo Lunar? Este, coincidência ou não, possui 29,5 dias. Semelhante ao ciclo menstrual da mulher não só no padrão de 28 dias (que não é uma regra mas uma média de base), mas também na forma como evolui e decai, brilha e escurece, expande e contrai.

Mandala da Lua DanzaMedicina- por Barbara Blauth.

Mandala da Lua DanzaMedicina- por Barbara Blauth.

relembrando antigos saberes:

Segundo algumas tradições matrilineares, uma mulher que conscientemente se volta ao estudo e observação de sua ciclicidade, consequentemente se conecta a uma sabedoria maior, que diz respeito aos seus processos de cura e crescimento - como mulheres, em um corpo de mulher - . Uma sabedoria há muito esquecida que ensina a respeito dos tempos de vida- morte-renascimento.

Segundo estas mesmas tradições, a cada momento em que uma mulher recebe seu sangue menstrual, é sugerido que algo em sua vida/psique está sendo finalizado, terminado, concluído. Este por si só é um convite especial: nos espelhar em povos originários que como premissa reconhecem os ciclos da natureza (as estações do ano, o ciclo do dia, da lua etc) como parte de si, percebendo este corpo-mulher como um ferramenta que propõe novos e constantes recomeços, em uma perfeita orquestra em harmonia com o todo, do micro ao macro.

Conhecer a si mesmas te empodera em muitos níveis... te potencializa tanto na forma como você lida com os seus processos internos, como na forma como você se manifesta no mundo.

A TPM como ferramenta de autoconhecimento: 

Entre muitas perguntas interessantes a se fazer a cada novo ciclo, algumas especialmente importantes ressoam na fase pré menstrual (conhecida como TPM) : "O que eu gostaria de transformar em minha vida?" , " O que deveria estar sendo diferente?", "O que estou carregando para o meu novo ciclo mas que não mais está alinhado com que sou e o que almejo?". "O que eu deveria deixar para trás para me viver o novo ciclo de forma mais alinhada com minha verdade interna?" ou "O que desejo para o novo ciclo?" 

Fazendo estas perguntas a cada mês, e comparando estes padrões do que vem à tona em sua TPM, você poderá perceber com mais clareza o quanto se está ou não crescendo e espiralando em sua jornada de vida, ou , ao contrário, o quando você girando em círculos, e repetindo continuamente os mesmos padrões. Neste exercício é importante que a mulher assuma 100% da responsabilidade pelos seus processos, compreendendo que tudo o se que manifesta fora é resultado de construções internas. Os padrões estão ai, se mostrando a cada novo ciclo, pedindo para serem transformados... mas lembre-se: a mudança começa sempre dentro! 

Mandala da Lua DanzaMediciana- por Barbara Blauth

Mandala da Lua DanzaMediciana- por Barbara Blauth

a mandala da lua e a fertilidade

A Mandala da Lua é uma ferramenta que pode ser também utilizada como primeiros passos rumo a uma percepção de fertilidade mais consciente.

 Conhecendo os padrões das manifestações emocionais e físicas da ovulação e do período infértil, a mulher pode ter a opção de se libertar de métodos contraceptivos ineficazes e invasivos, passando a utilizar da consciência de si como a mais confiável ferramenta para evitar ou potencializar uma gestação e manter o cuidado de sua saúde e corpo, ao invés de relegar esta responsabilidade a terceiros.

Não podemos usar os eventos do passado para prever o que irá acontecer em nosso corpo no futuro, por isso a tal tabelinha (e os Apps que são tabelinhas digitais) não são nem um pouco confiáveis! 

O ideal então é mapear os sintomas, observar como você se sente a cada dia, a cada novo momento: se basear no presente, para compreender o presente. Este estudo é importante não só para quem QUER engravidar ou para quem NÃO QUER engravidar. É para quem deseja se apropriar de seu corpo e de sua saúde, ao invés de colocar esta responsabilidade unicamente na mão de terceiros.

Para os sinais primários de Percepção de Fertilidade podemos contar com o Muco Cervical, a posição do Colo do Útero e a Temperatura Basal! Não sabe onde é o colo do seu útero e tudo isso que eu disse parece que estou falando grego? Pois que bom que você está aqui,  se quiser se aprofundar sobre o tema do corpo feminino como ferramenta de empoderamento,  vem pro Curso online que já resolvemos tudo isso! --->> SAIBA MAIS: www.danzamedicina.net/programaonline

A ver, uma pequena introdução para você já ir sentindo o gostinho:

  • No período fértil o colo do útero se encontra mais aberto, mais alto, mais maleável e mais alinhado com a vagina. Este exame se faz introduzindo os dedos médio e indicador (devidamente higienizados) na vagina até que se encontre o colo do útero. Já no período infértil, ele se encontra duro, mais baixo e mais fechado, possivelmente mais inclinado sobre a parede da vagina.

  • Muda a aparência e sensação do fluido vaginal: No período infértil a sensação é de secura e o muco, quando presente, é pegajoso e escasso- um padrão sem mudanças reflete a inatividade ovárica. O período fértil se caracteriza por muco aumentado, sensação molhada e escorregadia; a aparência do muco é transparente, como clara de ovo (você pode experimentar esticá-lo com os dedos polegar e indicador e perceber como ele é elástico e não se rompe). Observando o muco se pode saber se você está no período fértil, se a ovulação está próxima, ou se ela já aconteceu.

  • A temperatura do corpo aumenta a partir da ovulação por conta do hormônio progesterona, e quando ela é medida com um termômetro específico logo após acordar, podemos saber se a ovulação já aconteceu ou não.

Os sintomas secundários: São chamados assim porque não são tão confiáveis quanto os sintomas primários citados acima. Os sintomas secundários podem variar a cada ciclo, ou de mulher para mulher, mas são aliados maravilhosos para conhecer a si mesma, ao seu corpo e ciclo:

  • Seus seios podem se tornar maiores e mais sensíveis nas datas próximas à ovulação. No período infértil se encontram menores e mais flácidos.

  • Os lábios internos e externos da vagina podem se encontrar mais abertos e exuberantes nas datas próximas da ovulação;

  • Pode-se notar desconforto na região dos ovários ou da cintura;

  • Pode-se notar suor aumentado durante o período fértil, com pele e cabelos mais oleosos;

  • Pode haver mais desejo sexual;

  • Pode ser que você se sinta mais disposta, expansiva, amorosa, criativa e confiante.

  • Algumas mulheres se sentem também mais criativas nesta fase. Em algumas tradições, existe a sugestão de que o óvulo é sua força de manifestação, e que você pode utiliza-la pra gerar um bebê, assim como para parir novos projetos!

A MANDALA DA LUA E OS CONTRACEPTIVOS HORMONAIS:

Mandala da Lua DanzaMedicina na Revista Bons Fluidos.

Mandala da Lua DanzaMedicina na Revista Bons Fluidos.

Para as mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais, este exercício de auto-observação se torna limitado, pois os hormônios artificiais alteram o seu ciclo natural; porém, ainda sim é indicado que o façam, afinal, no momento em que a gentil Avó Lua percebe o chamado das mulheres por reconexão, muita sabedoria e muitos presentes são oferecidos. Este é com certeza um grande passo para se libertar dos medicamentos, do medo da fertilidade ou das desordem hormonais e físicas em geral.

E quem não MENSTRUA, pode fazer a mandala? 

Sim! Homens, mulheres na menopausa, gestantes e mulheres que por qualquer outra razão não menstruam mais, podem fazer a Mandala também! Neste caso, a observação dos padrões ocorrem apenas de acordo com as fases da lua, mas não com o ciclo menstrual. 

Então, está pronta? Vamos começar!

Como preencher a sua moondala:

 1) Há 29 luas em cada gráfico. Eles foram coloridos de preto para ilustrar as fases de um ciclo lunar. A lua preta representa a lua nova, enquanto a lua branca representa a lua cheia.  Você deve começar a preencher uma nova Moondala no primeiro dia de seu ciclo, ou seja, no primeiro dia de menstruação, e completá-la todos os dias até que chegue a próxima menstruação, quando você passa a usar uma nova Moondala. Caso seu ciclo tenha mais do que 29 dias, utilize mais de uma Mandala! 

2) Para começar o seu mapeamento, você precisa saber que a fase da lua é o Dia 01 do seu ciclo. O dia 01 de seu ciclo é o dia em que você começa a sangrar. Para saber qual fase da lua está no dia 01, você precisa checar no anexo do Calendário Lunar. Caso a data não esteja relacionada a nenhuma das 4 luas do calendário naquele ciclo, você irá encontrar a lua mais próxima da sua data, ver quantos dias antes ou depois daquela lua você ficou menstruada e localizar o espaço relativo no seu diagrama, caminhando para frente ou para trás. Depois de ter este ponto de referência, você pode começar a anotar seus dados. Por exemplo, você ficou menstruada 3 dias antes da lua cheia, ande 3 casas para trás. Se você ficou menstruada 4 dias depois da lua nova, ande quatro casas para frente, e comece a anotar a partir daí (tem uma seta indicando a direção a seguir para frente ou para trás)! 

3) Os dias do seu ciclo são registrados na área intitulada "Dia".

4) As datas correspondentes de seu ciclo da lua são escritos na área intitulada "Data".

5) A área intitulada "físico" é onde você deve documentar as mudanças que acontecem em seu corpo, por exemplo: aumento dos seios, muco na vagina( e características deste muco), mamilos sensíveis, prisão de ventre, diarréia,  disposição, cólicas, falta ou excesso de sono e a qualidade deste, oleosidade ou secura no cabelo e na pele, dores musculares, acne, quantidade do fluxo menstrual, etc. 

Mandala da Lua DanzaMedicina por Barbara Blauth

Mandala da Lua DanzaMedicina por Barbara Blauth

6) A área intitulada "emocional" é onde você deve documentar as mudanças que acontecem em seu ser a nível sutil, como irritabilidade, extroversão, introversão, receptividade, passividade, determinação, euforia, criatividade, confiança… se você se sente protetora, agressiva, carinhosa, ansiosa, focada, dispersa etc.

Você pode complementar também com informações como: tipos de sonhos, como você se veste (vaidade), quais os tipos de programa você faz ou sente vontade de fazer, libido, quais alimentos você sente desejo ou aversão, se você sente mais ou menos apetite etc.   

7) O espaço ao lado da lua, você pode colorir de vermelho nos dias da menstruação e de alguma cor específica para fazer referência aos possíveis dias férteis. Você pode também completar com os signos de cada dia, caso este assunto seja do seu interesse.

8) Perceba que nossa Mandala da Lua não está pronta; você quem irá consolidar este material através de suas informações e através de sua arte. As ilustrações em torno da Moondala são um convite para que você expresse criativamente seu universo interno!

9) Após três ciclos de mapeamento, você já pode encontrar os seus padrões. Caso isso não seja possível, busque ser mais assertiva em suas anotações e prossiga o estudo por mais alguns ciclos, até que estes padrões se tornem mais claros.

Dicas de Mapeamento:

* Consistência é a chave: Para criar um hábito diário de anotações, é recomendado que você mantenha sua Mandala da Lua em um lugar de fácil acesso, como a sua mesa de cabeceira por exemplo.

 * Faça valer a pena: Tente criar em sua mente o contexto de que este tempo que você está alimentando sua Mandala, é um momento para refletir, para se observar; é um ato de carinho, cuidado e amor-próprio. Um ritual de reconexão com você mesma. 

* Consolidar: Você pode também anotar uma visão geral de 2-4 dias, se a sua experiência ao longo destes dias é relativamente semelhante. Isto irá facilitar encontrar o padrão de cada fase. 

* Morena Cardoso é terapeuta corporal, ativista, escritora, mãe, mulher, heroína da própria jornada. Visionária e facilitadora do projeto DanzaMedicina. Uma peregrina que por mais de uma década caminhou em busca de povos originários e saberes ancestrais, e hoje recria potentes vivências e narrativas acerca das relações com o feminino e o corpo-mulher. Saiba mais em www.danzamedicina.net/morenacardoso

*Bárbara Blauth: Gestora de Sonhos, designer e artista plástica. Bárbara transforma pensamentos em formas, sonhos em empreendimentos, idéias em matéria. Uma ponte entre dois mundos, que torna viável e eficiente a manifestação dos propósitos mais nobres e elevados- Minha parceira no feitio da Moondala, desde que esta ainda era um sopro de inspiração!