Queremos te conhecer! 

Caso queira mais informações sobre a DanzaMedicina (Formações, Workshops, Eventos, Parcerias e Colaborações), ou simplesmente queira se conectar, preencha o formulário. 

         

123 Street Avenue, City Town, 99999

(123) 555-6789

email@address.com

 

You can set your address, phone number, email and site description in the settings tab.
Link to read me page with more information.

sdsd.png

Blog

Reclaim your Wild Feminine Essence. 

A Lua Cheia e o Ciclo Menstrual

DanzaMedicina

Com todas as bênçãos e honrarias, damos as boas vindas à Lua Cheia!

A energia da Lua Cheia representa em nosso ciclo menstrual a chegada da ovulação.

Isto não significa que a mulher deva menstruar na Lua Nova e ovular na Lua Cheia. Isto representa o tipo de energia, o tipo de freqüência e vibração que experenciamos no período fértil em nosso ciclo interno pessoal: Assim com a Lua Cheia- radiantes, brilhantes, expansivas, cheias de clareza e beleza!

Tendo como referência às estações do ano, esta fase do nosso ciclo menstrual está também conectada com a energia do verão. Tendo como referência o ciclo do sol, está conectada ao período das 9h da manhã às 3h da tarde-  quando nos encontramos mais abertas a nos comunicar, nos expressar, a sair de nosso ninho em direção à luz e ao calor, indo de encontro com a abundância que vibra e floresce, dentro e fora de nós.

Este é o momento de desfrutar de nosso útero alquímico, de honrar e descobrir as riquezas de nossa feminilidade e fertilidade; orgulhar-se dela, deliciar-se com ela! É o momento de sentir todo o poder de nosso potencial criativo, expresso em nosso corpo, mente e espírito.

Este é o momento de parir: idéias, sonhos, projetos; deixando transbordar nossos propósitos internos mais profundos. Este é o momento de observar os aspectos de nosso Ser que estão sendo iluminados e trazidos à superfície; percebendo, em clareza e compaixão, quais os padrões, hábitos e crenças que estão sendo amplificados em nós neste momento. Quais frutos estão a surgir? Qual a qualidade das sementes que você plantou desde o início de seu ciclo? O que lhe aguarda no período da colheita, em sua Lua Minguante? Com a força da Lua Cheia dentro de nós, passamos a atrair tudo aquilo que vibramos internamente- consciente ou inconscientemente.

Com a nossa sexualidade cada vez mais aflorada, nossa libido aumenta muito neste período; expressa em um desejo de conexão e intimidade com o outro. É um momento em que nos tornamos mais atentas e cuidadosas com a nossa aparência, nos sentimos mais interessantes, bonitas e autoconfiantes. Nosso corpo fértil dá sinais de transformação; os hormônios deixam nossa pele reluzente, nossos cabelos mais brilhantes, nossa vagina aumenta de tamanho e se torna mais úmida, nossos seios se tornam mais fartos. Toda esta energia age como um feromônio natural que sutilmente atrai e magnetiza as pessoas ao nosso redor, não apenas sexualmente, mas em todos os aspectos.

Representado pelo elemento água, podemos acessar mais facilmente, durante nosso período fértil, qualidades como: fluidez, adaptabilidade, entrega, compaixão, empatia e transparência; além de vislumbrar o aumento de nosso potencial intuitivo e a maior conexão com nossas emoções. Ou seja, quando estamos ovulando é o momento ideal para resolução de conflitos, expressão amorosa de nossas vontades, desejos e visões, construção de parcerias em todos os níveis!

Nesta espiral sagrada, a Lua Cheia deita sobre a direção Norte onde na tradição andina, está conectada com o espírito do animal de poder do colibri, o beija-flor! Este animal representa a nossa capacidade de oferecer o amor e gentileza incondicionalmente- em leveza, união.

Na primeira fase do ciclo menstrual, enquanto estamos sangrando, nos encontramos recolhidas em nosso universo interno; em quietude e silêncio, como a Lua Nova.

Na segunda fase do ciclo menstrual, como a Lua Crescente, nos encontramos responsivas, receptivas, espontâneas, descontraídas e alegres- como uma jovem donzela em um jardim de primavera. Também na segunda fase do ciclo menstrual nos percebemos muitas vezes como guerreiras; em atenção focada, objetividade, decisão, posicionamento e assertividade.  

Nesta terceira fase do ciclo menstrual, durante o período fértil, nos encontramos menos focadas em nossos próprios interesses e desejos egocentrados e passamos a olhar ao nosso entorno com mais cuidado e carinho: Esta é a representação do Arquétipo da Mãe.

A Mãe aqui não se faz a partir da concepção de um filho mas sim de qualidades e manifestações que partem deste espaço interno de nutrição, proteção, acolhimento, suporte e ancoramento, sustentação. Esta energia de Gaia, da Mãe Terra, da Grande Mãe; pode ser compartilhada e manifestada das mais diversas formas: oferecendo seu tempo para uma escuta carinhosa, aumentando sua capacidade de doação, expondo suas emoções e abrindo seu coração, cuidando de um jardim, criando expressões artísticas,compartilhando energias criativas, nutrindo um propósito de vida, uma empresa, um projeto; cozinhando para as pessoas que amamos, oferecendo um abraço protetor, amparando; em serenidade e amor.

Seja qual for o momento de seu ciclo, se permita experienciar toda a força, a energia de plenitude e a radiante presença da Lua Cheia, que desde o céu lhe abençoa com o poder da criação, da manifestação e abertura da consciência. Ao ovular, receba e honre a Lua Cheia que brilha dentro de ti: honre ao seu útero sagrado, ovários, óvulos, muco, seios; honre a fertilidade que transborda em sua mente, corpo e espírito e utilize conscientemente deste maravilhoso potencial de concepção para criar vida, para criar sua própria vida, para cocriar sua própria realidade e para manifestar assim todos os propósitos mais profundos de seu coração; em gentileza e união consigo, e com o todo. 


25022018-IMG_9957.jpg

Por Morena Cardoso: psicoterapeuta corporal, escritora, contadora de histórias, mãe, mulher, amiga, heroína de sua própria jornada. Uma peregrina, que iniciou a busca de si mesma a partir do espelho fornecido por povos de diversas etnias culturais, corpo adentro e mundo afora.  

Em mais de uma década de jornada pelos saberes tradicionais, lugares sagrados e povos originários, Morena pôde testemunhar diferentes formas de vida, mitos, crenças,  ferramentas de cura, sistemas simbólicos, costumes e rituais; diferentes formas de se relacionar com o universo psíquico e com a natureza- tudo isso se tornou o que é a DanzaMedicina, e hoje se configura como retiros em 6 diferentes países, workshops presenciais, conferências e uma comunidade online com mais de 80 mil mulheres.



A Lua Crescente e o Ciclo Menstrual

DanzaMedicina

Esta fase, no ciclo menstrual da mulher, representa o momento desde o fim do sangramento até a ovulação- ou seja, representa a energia da segunda fase de nosso ciclo menstrual.

Isso não quer dizer necessariamente a mulher precise menstruar na Lua Nova e seguir a segunda fase do ciclo na Lua Crescente. Isso significa na verdade que assim como a lua, temos nossas fases distintas em ciclos internos que são representados na natureza e na mitologia arquetípica como padrões, frequências e manifestações específicas de cada momento.

Se você se permitiu um tempo de recolhimento, autoestudo e quietude durante a sua lunação(menstruação); ao final do sangramento você irá perceber que começa a ficar cheia de energia em todos os aspectos; como a lua nova que cresce a partir de  sua profunda escuridão, assim também a mulher passa a se tornar a cada dia mais numinosa em direção à sua fertilidade.

Já renovada, a mulher nesta fase vai voltando devagar para o mundo e aos poucos se sente pronta para encarar todos os desafios da vida mundana; em entusiasmo e ânsia de vivê-lo intensamente.

A segunda fase do ciclo menstrual é representada também pela primavera: como a luz que retorna trazendo florescimento, despertando flores, coragem e renovação; vida que pulsa em pura expansão!

Para algumas mulheres, esta fase invoca o arquétipo de Perséfone, a Deusa do Mundo Subterrâneo que sai dos labirintos das sombras do inconsciente e sobe à superfície. Como um renascimento a partir dos lugares mais profundos do Ser; onde se entra em contato com memórias de dores, medos e a conscientização de padrões limitantes- mas aqui floresce e volta à luz.

Como Perséfone, existe também nesta fase a energia pura e jovial de uma donzela. Onde a mulher se sente como uma princesa, uma sacerdotiza iniciante; generativa, responsiva e flexível. Neste caso, este é um ótimo momento para resolução de conflitos, para explorar novas formas de lidar com as resistências. Um momento propício aprender algo novo ou fazer de uma nova maneira, experimentando novas formas de se manifestar: mais leve e de se relacionar mais harmoniosamente no mundo.

Para outras mulheres, a segunda semana do ciclo menstrual vem como o momento de se centrar somente em seu próprio ser, em seus anseios pessoais e suas ambições; colocando em prática, através de sua crescente criatividade, os seus projetos de vida e propósitos: principalmente aqueles que vieram como visões, sonhos e canalizações durante o período menstrual.

Neste caso, a mulher vai entrando em ressonância com os arquétipos de Artêmis e Atena; Deusas invulneráveis que são inteiras em si: que possuem um foco claro e objetivo a respeito de quem são, de onde querem chegar e qual passo dar adiante; em firmeza, atenção focada, disposição, dinamismo, vitalidade e segurança!

Em conexão com a Roda da Medicina Xamânica, a segunda fase de nosso ciclo menstrual está representada pela direção Leste. É da direção Leste que nasce o sol, é desta direção que cresce a luz; a cada novo dia, a cada inicio de vida, a cada recomeço.

Esta direção, assim como esta fase de nosso ciclo, invoca os Animais de Poder do Condor e a Águia; inspirando nosso dom de observar as situações "de cima", ao invés de nos envolver em vulnerabilidade emocional: observando sem julgamento, com consciência e equanimidade; invocando o masculino dentro de nós em forma de clareza, discernimento, foco, firmeza da mente e objetividade.

Fisicamente, nossos níveis de estrógenos deixados no sangue são cada vez maiores; produzindo efeitos em todo o nosso sistema físico, mental e emocional- em sensação de disposição e bem estar, melhora a qualidade de nossa pele e cabelos, menos cansaço e mais rendimento, aumento da libido em uma fresca e renovada sexualidade que vibra em excitação, ânimo e auto estima!

Honrando a Lua Crescente dentro e fora de nós, este é momento ideal para plantarmos novas sementes; sementes saudáveis que nos garantirá frutos abundantes ao fim de nosso ciclo- por isso a importância de firmar intenções positivas neste momento; em alinhamento e consciência com os nossos propósitos internos e verdades mais profundas.

Acolha o brilho da Lua Crescente e se expanda em toda luz que você começa a manifestar; se tornando, a cada ciclo, mais e mais reluzente!


25022018-IMG_9957.jpg

Por Morena Cardoso: psicoterapeuta corporal, escritora, contadora de histórias, mãe, mulher, amiga, heroína de sua própria jornada. Uma peregrina, que iniciou a busca de si mesma a partir do espelho fornecido por povos de diversas etnias culturais, corpo adentro e mundo afora.  

Em mais de uma década de jornada pelos saberes tradicionais, lugares sagrados e povos originários, Morena pôde testemunhar diferentes formas de vida, mitos, crenças,  ferramentas de cura, sistemas simbólicos, costumes e rituais; diferentes formas de se relacionar com o universo psíquico e com a natureza- tudo isso se tornou o que é a DanzaMedicina, e hoje se configura como retiros em 6 diferentes países, workshops presenciais, conferências e uma comunidade online com mais de 80 mil mulheres.




Bondage - Consentimento e Liberdade

DanzaMedicina

Comecei a compreender que aquilo era para mim um rito de iniciação para que eu pudesse me libertar do meu vitimismo, da minha necessidade de controlar os outros através de minha dor, me libertar do meu próprio apego ao sofrimento. Foi como limpar os cantinhos escondidos, as rebarbas que sobraram de um porão escuro já muito revirado e cheio de tranqueiras emocionais... foi achar mais um tapete esquecido para bater a sujeira por debaixo.”

Read More

O Poder dos Rótulos

DanzaMedicina

Vivemos hoje uma crise de identidade. Não só isso, vivemos uma crise da própria ideia de identidade. Com o desaparecimento da interioridade e consequentemente do conteúdo essencial do sujeito, o que testemunhamos hoje é uma curadoria do eu- uma edição permanentemente construída da imagem projetada sobre si, no mundo.

Esta identidade que pode ser reconhecida, legitimada e definida como parte de algo é o que comumente chamamos de "rótulos", mas por detrás da necessidade de se dar nomes, descansa a necessidade de pertencer… pertencer a qualquer coisa que faça desaparecer de si a sensação de estar sendo inadequado.

Read More

O sagrado feminino e suas aspas.

DanzaMedicina

" Sagrado Feminino" é um termo que nunca me desceu muito bem, principalmente quando vinculado à minha pessoa. Hoje especialmente, é como aquelas traumáticas espinhas de peixe que grudavam na garganta, e minha mãe fazia descer à seco com farofa.

Read More

Uma maternidade inventada

DanzaMedicina

"Meu filho me acompanhou durante cinco anos- eu de mochila nas costas, ele de dedo na boca, e nós na estrada. Vivendo como nômade, sem casa para voltar. Vivendo como monge, trabalhando como terapeuta somente em troca de doações espontâneas, comida e lugar para dormir (...) "

Read More